segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Contador ajuda na tomada de decisão da empresa

Não há empresa que consiga crescer de maneira sustentável sem que seus administradores tenham em mãos os números que a movimentam no dia a dia. Sem estes números não há como tomar decisões sobre ampliação do quadro funcional, crescimento de produção, demanda de produtos, ingresso em novos mercados.

Estes números estão disponíveis no departamento de contabilidade da empresa ou no escritório de contabilidade contratado para fazer o serviço. Tudo nos conformes, certo? Quase.

A pergunta que se faz é: quantas vezes você empresário sentou com seu contador este ano para discutir sua empresa? Conversar sobre onde é possível melhorar; como conseguir uma melhor taxa de juro bancário; onde conseguir um financiamento mais barato para ampliar sua produção. Se você respondeu que nem se lembra quando foi a última vez que fez isto ou se alguma vez na vida de sua empresa você fez isto, não se preocupe. Você faz exatamente o que a maioria absoluta dos empresários faz: ou seja, não faz. Não se reúne, não conversa, não procura o contador.

Segundo o presidente do Sescap-Ldr, José Joaquim Martins Ribeiro isto é um erro de estratégia que pode custar caro ao empresário. Ele afirma que o normal no meio empresarial é o dono da empresa ligar para saber qual foi o lucro no período e quanto ele precisará pagar de imposto. E só. É muito raro ele buscar informações mais detalhadas sobre o que está acontecendo com sua própria empresa. ''Quando somos procurados, 90% dos empresários querem conversar apenas sobre os impostos. Mas esta é apenas uma das funções do contador. Como dispõe de todos os dados sobre a vida da empresa, ele pode auxiliar na análise de informações e tomada de decisão'', esclarece Ribeiro.

Segundo ele, a complexidade da legislação tributária brasileira, a carga de impostos e a concorrência fazem com que o empresário tenha pouquíssimo tempo para pensar no empreendimento. ''Se você não tem tempo para pensar na sua empresa é sinal que deve estar perdendo oportunidades de negócios'', comenta Ribeiro.

O empresário Antonio Ermírio de Moraes, proprietário do Grupo Votorantin, que agrega empresas de diversos segmentos, escreveu um artigo dias atrás, publicado na Folha de São Paulo em que ele comenta que ''entra ano, sai ano, e o Brasil continua como o campeão da burocracia. Segundo estudo do Banco Mundial, uma empresa gasta, em média, 2,6 mil horas para atender às exigências governamentais. É um número impressionante. São 108 dias; quase um terço do ano. Foram estudados 178 países. Batemos todos. É uma vergonha. Para conseguir uma certidão negativa nos campos da Previdência ou do Trabalho, são semanas de espera - quando não meses. E, quando ela chega, tem curta validade. Para abrir uma empresa, é um pesadelo. Para fechar, um inferno'', escreveu Moraes.

O empresário fica tanto tempo preocupado com toda a burocracia que envolve ter uma empresa que sobra pouquíssimo tempo para ''pensar'' a empresa. ''Entre os mais de 160 clientes do meu escritório de contabilidade raros são os empresários que reservam um tempo para discutir problemas e soluções para suas empresas'', diz Ribeiro

Fonte: Classe Contábil

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Contribuinte terá que informar número do recibo da declaração do IR do ano passado

BRASÍLIA - A entrega da declaração de Imposto de Renda 2008 começa neste ano no dia 3 de março com uma mudança principal: o contribuinte terá que informar o número do recibo da sua declaração do ano passado.

De acordo com a Receita Federal, quem tiver perdido o número do recibo da declaração do ano passado terá que procurar o órgão.

Além disso, o contribuinte que declarar doações feitas terá que informar o número do CPF ou CNPJ do beneficiário.

Outra novidade é a restrição ainda maior a quem entrega a declaração no formulário em papel. Entre outros casos que não poderão entregar o documento em papel estão os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis de pessoas físicas, que receberam rendimentos do exterior ou que tiveram participação acionária em empresa no ano passado.

Obrigatoriedade

Terá que fazer a declaração de Imposto de Renda quem recebeu no ano passado rendimentos tributáveis acima de R$ 15.764,28; quem recebeu rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados na fonte acima de R$ 40 mil; quem tinha no final do ano passado bens no valor de mais de R$ 80 mil; e quem participou de empresa, entre outros casos.

A entrega da declaração vai de 3 de março a 30 de abril; às 8h do dia 3 de março estarão disponíveis na página da Receita os programas para download para quem faz a declaração no computador ou on line.

Para quem faz a declaração no computador, a entrega pode ser via internet ou em disquete, nas agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil, gratuitamente.

Quem preencher a declaração em papel pagará R$ 3,50 para entregá-la nos Correios. A Receita espera receber cerca de 24,5 milhões de declarações neste ano.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Empresas têm até dia 29 para dar comprovante de rendimento para IR

As empresas têm até o dia 29 de fevereiro para entregar aos empregados o Comprovante de Rendimentos, utilizado para preencher a declaração do Imposto de Renda (IR). A multa por não entregar o documento, ou apresentá-lo com informações incorretas, é de R$ 41,43.

Já o prazo de entrega da Dirf 2008 (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) termina nesta sexta-feira. Devem entregar o documento as empresas e pessoas físicas que fizeram pagamentos com retenção de imposto em 2007. As empresas inativas que deixarem de apresentar a Dirf pagarão multa mínima de R$ 200. As demais pessoas jurídicas têm uma penalidade de R$ 500.

As declarações de IR deste ano começam a ser recepcionadas a partir de março pela internet e formulários.

Formulário Segundo publicação feita ontem no "Diário Oficial" da União, o formulário completo do IR deste ano será mais simples e terá apenas duas páginas, frente e verso (eram quatro no ano passado).

O novo formulário.
Também foi eliminado o Recibo de Entrega. Assim, o contribuinte terá de preencher duas vias: uma será entregue e a outra, com o carimbo de recepção, será devolvida como comprovante de entrega.


De forma geral, a Receita reduziu o número de linhas de alguns quadros e eliminou outros. A página 1 reúne agora as informações que estavam nas páginas 1, 2 e 4 de 2007 (identificação do contribuinte, rendimentos tributáveis, isentos e não-tributáveis, sujeitos à tributação exclusiva/definitiva e pagamentos e doações).

A página 2 terá informações que estavam nas páginas 3 e 4 de 2007 (relação de dependentes, bens e direitos, dívidas e ônus real e apuração do imposto). Foram suprimidos quadros como rendimentos recebidos pelos dependentes (no país e no exterior) e pelo titular (de pessoas físicas e do exterior).

Com as mudanças, o formulário completo deixa de ter campos para o contribuinte titular informar eventuais rendimentos de dependentes.

O formulário simplificado também sofreu algumas mudanças. Foram eliminados os quadros para doações a candidatos e a partidos políticos e para informações sobre o espólio. O quadro para rendimentos tributáveis também não terá informações dos dependentes.

Fonte: Classe Contábil

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Orçamento terá reestimativa de receitas na segunda-feira

O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) apresenta nesta segunda-feira (11), ao presidente da Comissão Mista de Orçamento, senador José Maranhão (PMDB-PB), seu relatório de reestimativa de receita para 2008.

É com base nesse cálculo de quanto o governo deve arrecadar neste ano que o relator-geral do Orçamento, deputado José Pimentel (PT-CE), vai elaborar seu parecer final.A missão é acomodar as despesas à nova realidade da arrecadação sem a CPMF, cuja receita era estimada em torno de R$ 40 bilhões.

O governo fala em um corte de R$ 20 bilhões, já que o aumento das alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), somado à estimativa de aumento de arrecadação, resolve os outros R$ 20 bilhões.

Fonte: Agência Câmara

Orçamento terá reestimativa de receitas na segunda-feira

O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) apresenta nesta segunda-feira (11), ao presidente da Comissão Mista de Orçamento, senador José Maranhão (PMDB-PB), seu relatório de reestimativa de receita para 2008.

É com base nesse cálculo de quanto o governo deve arrecadar neste ano que o relator-geral do Orçamento, deputado José Pimentel (PT-CE), vai elaborar seu parecer final.A missão é acomodar as despesas à nova realidade da arrecadação sem a CPMF, cuja receita era estimada em torno de R$ 40 bilhões.

O governo fala em um corte de R$ 20 bilhões, já que o aumento das alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), somado à estimativa de aumento de arrecadação, resolve os outros R$ 20 bilhões.

Fonte: Agência Câmara